Qual será o verdadeiro segredo do sucesso absoluto da corrida? Alguns dizem que correr é democrático, outros que a corrida é um esporte de baixo custo, e há ainda que diga que a corrida não distingue classe social, credo, raça, sexo ou idade.

Qual será o verdadeiro segredo do sucesso absoluto da corrida? Alguns dizem que correr é democrático, outros que a corrida é um esporte de baixo custo, e há ainda que diga que a corrida não distingue classe social, credo, raça, sexo ou idade. Para mim, é simplesmente o fato de poder calçar o meu tênis e correr a qualquer hora, em qualquer local, e ainda escolher o meu cenário, seja na areia da praia da Barra da Tijuca, na montanha ou na USP.

Porém, há uma grande diferença entre correr e sair correndo. Outro dia, eu postei no Facebook: você corre ou sai correndo? Foram muitas pessoas que responderam: uns correm e outros saem, simplesmente, correndo. Afinal, qual a diferença? Correr é uma ciência e exige conhecimentos fisiológico, biomecânico e metodológico para a sua prática com objetivos de trazer benefícios à saúde. Sair correndo é um ato, como você sair correndo atrás de um ônibus, você não irá prestar atenção na postura do tronco, joelhos, cabeça etc, e sim, tentar pegar o ônibus.

A corrida é emoção, prazer, uma ciência complexa e cheia de detalhes. Para cada planilha de treinamento, cada sessão e cada dia de repouso, existe uma gama de conhecimento científico com a finalidade de tornar o treinamento mais eficiente e seguro para o seu praticante.

Para esclarecer aos praticantes e aos amantes desta modalidade, vamos aqui abordar os principais pontos que envolvem esta ciência, a ciência do treinamento desportivo ou simplesmente preparação física.

A preparação física é estruturada com base em exercícios sistematizados, representando um processo organizado pedagogicamente com o objetivo de direcionar a evolução do atleta. O treinamento implica existência de um plano em que se definam os objetivos do atleta e os métodos de treinamento. A estrutura e a organização do treinamento se adequará o período de tempo tanto de treinamento como de competições. A planificação do treinamento tem um caráter temporal, portanto, considera um início e um fim do processo de preparação e competições e estará determinada fundamentalmente pelo calendário competitivo.

Periodização do treinamento desportivo
A periodização é um dos mais, senão o mais, importante conceito do planejamento do treinamento. O termo origina-se da palavra período, que é uma fração do tempo ou uma divisão em pequenas partes mais fáceis de controlar, denominadas fases.

Não basta treinar, temos que planejar a forma, o método, quando e como queremos que a nossa condição se eleve de maneira satisfatória para podermos chegar ao momento máximo de nossa condição física e conseguirmos bons resultados de forma estruturada e planejada. Isso me faz lembrar um depoimento do meu atleta de corrida de montanha (José Virginio de Morais), que foi publicado em meu livro CORRIDA: teoria e prática do treinamento, lançado em janeiro de 2009, e dizia o seguinte:

“Começamos o trabalho já em dezembro de 2007. O Alexandre priorizou inicialmente um trabalho alto de volume e trabalhávamos com uma única sessão diária de treinamento, o que particularmente eu achava muito bom, mas por outro lado era diferente dos treinamentos que eu tinha realizado anteriormente – o que me deixava preocupado e desconfiado de certa forma. Por várias vezes, conversamos muito, pois eu queria entender o que ele queria fazer, afinal era eu que corria. Em nossas conversas, ele sempre enfatizou que eu necessitava adquirir uma boa base de condicionamento para poder suportar os estresses do período específico de treinamento. Conversamos muito sobre metodologia e fisiologia aplicada ao exercício e ele sempre falava que estava trabalhando em cima de minhas respostas fisiológicas e, a partir deste ponto, é que ele iria elaborar o próximo bloco de estresses (planilha mensal) e, com isso, aumentar meu condicionamento e meu ritmo a cada mês. Uma metodologia de treinamento revolucionária na minha concepção de atleta e profissional da área. O ano de 2008 tornou-se uns dos mais expressivos para minha carreira de atleta de corrida. Neste ano, das 15 corridas em que participei, subi ao pódio em 13. Mas, foi no circuito de corridas de montanhas que eu me destaquei, das 7 etapas disputadas, fui campeão em 4 etapas e vice campeão em 1, e me consagrei campeão brasileiro de corrida de montanhas de 2008.”

E você vai correr ou sai correndo ?

Bom treino!

http://www.myrunner.com.br/blog/index.php?modulo=post&id=142